Vinho Amigo

No primeiro pedágio, em Amélia Rodrigues, perguntamos à recepcionista da cabine: Quem é o dono dessa empresa? (a Via Bahia, concessionária da BR 324) – E ela: “Senhor, ninguém sabe, até eu mesma não sei quem é meu patrão. A cada dia eu tenho um chefe diferente. Eu acho que é de um desses ladrões que agora esperam o nosso voto”. Bonito de ver a pacífica indignação popular que mansamente vai tomando corpo. Continue lendo

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

Dirigir em Coité

Uma motocicleta é uma arma na mão de quem não sabe conduzi-la. Ela tanto mata outro como provoca suicídio. Certa feita (em 1981), o cantor Lindomar Castilho, após matar sua mulher, disse: “Não basta contar até 10 é preciso contar até 1.000”. Da mesma forma pense até 1.000 antes de comprar uma moto. Primeiro de tudo aprenda a pilotar. Como o carro, não sabendo usar, a moto é uma arma ainda mais perigosa que mata e suicida. O número Continue lendo

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

Apoteose

Guardo lembranças felizes de desfiles cívicos e primaveris. 21 anos. Maioridade. A banda marcial de Riachão do Jacuípe desfilava pela cidade de Coité, quando descobri a novidade de uma garota morena, esbelta, pernas torneadas, tocando caixa. Empolguei-me. Comecei a cantá-la durante todo trajeto do desfile. Dias depois estou numa festa em Riachão (onde eu era muito querido); litro de uísque na mesa chega uma mulher escultural, vestido longo: “Roberto, como vai? (Hesitação!) Não mais me conhece? (Indecisão!) Sou aquela do desfile em Coité. (Surpresa!) Os homens são todos iguais”. E deu-me as costas. Morri. Peguei o uísque, liguei o carro e rumei pra Salvador para ver aquela que seria por muito tempo minha eterna namorada. Continue lendo

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

Procura-se o vilão

Comenta-se (nada oficial) que no último mês de agosto morreram (de conhecidos) o número assustador de 25 pessoas em Coité: Seis de câncer, três assassinadas e o restante de mortes diversas e naturais, sendo a maioria por velhice. Nos velórios de alguns deles, ouvia-se o falso comentário de que a fécula de mandioca (raiz do bem) dá câncer. Continue lendo

Publicado em Sem categoria | 1 comentário

O Não

Ouvi isso pela primeira vez em 1998 no SEBRAE: “O Não você já tem, portanto vamos atrás do Sim”. Não mais me lembro de quantos Nãos a gente recebe na vida. Sei que são milhares. Quem trabalha em vendas sabe muito bem disso. Mesmo que tome 10 Nãos no dia, o primeiro Sim compensa suas vendas. O escritor Ricardo Coiro tem uma projeção inicial: “Carrego uma infinita porção de Nãos, coisa que adquiri no exato momento que nasci. Fiz o check-out do útero, escapei dos lábios da vagina materna, tomei três tapas na bunda e, antes mesmo do meu primeiro choro, recebi um pacote cheio de Nãos”. Continue lendo

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

Você abusou

Não sei quem você é nem desejo saber. Ainda que seja minha amiga. Mas é preciso que as pessoas saibam ler e interpretar o que se escreveu. Você não soube compreender no meu escrito – Diversidade – as frases que denotam toda minha fantasia: “Ela não sabe que a estou namorando, senão ela acaba” e “Depois da Idade do Lobo são delírios da terceira idade”. – E o que são delírios? – Exaltação, Continue lendo

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

A transformação de Assis

Imagine Coité daqui a 10 anos? Será amanhã! Pense em centenas ou milhares de novas casas e prédios povoando a comunidade ainda sem planejamento? Abra o Google Maps e veja que já não temos áreas para praças desafogando a cidade em conforto dos seus cidadãos. Resta Continue lendo

Publicado em Sem categoria | 3 comentários

Meu amigo, meu irmão

Zé. Cabo Zé. Zezinho. Zezinho Currupá. José Cirino Araújo. Cabra da peste (expressão nordestina que designa homem valente, destemido, macho). Morreste ontem, 22/08/2014, descansando de uma doença infeliz que tem acometido muitos e muitos brasileiros e sem diminuir o índice, também nós coiteenses. A gente acha que está são por fora, mas muitas das vezes estamos podres por dentro. Nossa alimentação deixou de ser sadia, para vivermos entre agrotóxicos (somos os maiores consumidores do mundo em defensivos agrícolas com 5,2 litros ano) e outros produtos químicos. As indústrias precisam crescer para dar emprego enquanto a população se duplica e então para obter o lucro rápido quando mais artificialidade melhor. Continue lendo

Publicado em Sem categoria | 2 comentários

A Paz de Deus

“A paz que você procura está no silêncio que você não faz” (Autor desconhecido). No silêncio mora a paz. O silêncio, a paz, reside dentro de nós. Eles são a harmonia da natureza. O segredo de Deus. A suavidade da vida. “Quando aprendermos a entrar em contato com a paz estaremos curados. Não é uma questão de fé, é uma questão de prática” (Thich Nhat Hanh).

No livro Depois da Paixão Política, do espanhol Josep Romaneda, ele escreve: “O dinheiro se expande pelo mundo Continue lendo

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

Abafabanca

Sávio Pereira Santos é filho de Uziel (Ana) Carneiro, professor e chapeiro da lanchonete de Ana (Super Lanche) na Praça da Matriz em Conceição do Coité. É dele essa indicação de falar de comida e a maioria das sugestões que seguem são da sua lembrança de garoto cheio de apetite, o que seu bom físico apresenta. Continue lendo

Publicado em Sem categoria | 1 comentário